Lilypie 1st Birthday Ticker
Quinta-feira, 29 de Novembro de 2007

ideias de prendinhas (para o Gabriel)

Nós já sabemos que vamos receber montes e montes de brinquedos pró miúdo... coisa que ele até já tem demais. O que vale é que ele ainda é piqueno e é ainda fácil tirar-lhe e esconder-lhe as coisas.
Eu vou-lhe rodando os brinquedos e tento que brinque só com uma coisa de cada vez. Mesmo assim, o cesto de brinquedos está cheio a transbordar.
Por isso mesmo (e se for possível) preferimos que não dêem brinquedos ao Gabriel (ele até já lá tem uns quantos à espera de ter idade para eles).

Do que ele realmente precisa / gostava de ter é:
- camisolas quentinhas (a mãe prefere em malha polar porque são as mais quentinhas, mais baratas e lavam e secam na máquina que é um descanso) notinha: calças já tem muitas! mas bodies são sempre bemvindos :)
Tamanho que lhe serve: 68 (CA e HM) - já tem usado bodies 74 da CA, mas calças e camisolas é preciso dar umas dobras ;), ou seja, estão-lhe grandinhos 74 da HM e 6a9M da Zara
- roupa para 1 ano (não tão quentes, já a pensar na primavera)
- fraldas e toalhitas (tamanho 3 - 4 a 10Kg e tamanho 4 - 9 a 15Kg)
- recargas narhinel
- anel de banho (tipo este)
- cadeira auto +9Kg Maxicosi PrioriXP
- vacina Prevenar (já só faltam duas doses, uma agora, outra aos 15 meses)
- termos pequeninos para a sopa do bebé (vi uns da Jané na Modalfa / Zippy)


NOTA: post para avós, tios, etc
publicado por Claudia Borralho às 15:26

link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Quarta-feira, 28 de Novembro de 2007

uma nota ao teu plano alimentar

A pediatra só disse para te dar abóbora, alho francês, agrião e feijão verde. E que experimentasses peru, vitela e frango.
Aos 6 meses começar a dar papas com gluten e aos 7 meses lanche com iogurte natural mais bolacha maria ou fruta e começar a jantar sopa e fruta. Carne só uma vez por dia.

Tudo o resto é recriação da mãe :) Há que haver variedade (principalmente com duas sopas por dia!).
publicado por Claudia Borralho às 12:10

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

coisas só nossas

De manhã quando termina o leitinho fica sentado ao meu colo para arrotar.
Depois de duas ou três bombas arrotais daquelas ;D (o puto tem a quem sair, digamos apenas isso) ficamos ali quietinhos, agarradinhos e eu dou-lhe muitos beijinhos na bochecha.
O puto sorri, e o meu coração ilumina.
tags:
publicado por Claudia Borralho às 11:35

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Terça-feira, 27 de Novembro de 2007

7 meses de Gabriel

Como sempre estás lindo :)
No último mês já provaste alho francês, abóbora, coentros, feijão verde, agrião, nabo, banana, papa de arroz, arroz e papas com gluten. Nos últimos dias provaste bolacha maria (continuas a não saber o que fazer com ela), iogurte natural e couve flor. E já comes sopa e fruta ao jantar em vez de papa.
Detestas alface e feijão verde (nem disfarçado com alho francês, coentros e uma colher de papa te convenço) e também não achaste muita piada à couve flor. Gostas muito de banana, de qualquer papa e de iogurte com bolacha. Também já provaste todas as carnes, borrego, frango, peru e vitela, comes todas, só torces um bocadinho o nariz ao frango (mas acho que é por ter sido cozinhado com a alface).
Comes e engoles muito bem sozinho, mas de vez em quando fartas-te de estar a comer e mãe usa a chucha para abrires a boca. Quando estás cheio pura e simplesmente deixas de engolir. Já consegui que comesses uma papa inteirinha sem chucha e na creche dizem-me que comes sempre a sopa sem chucha :)

Quando estás com fome és muito engraçado. Sempre ouvi dizer que os bebés com fome acalmavam ao ver os pais a preparar a comida, seja o biberão ou a papa, etc. Tu és exactamente ao contrário.
Estás muito bem e começas a ver-me preparar a papa ou pegar na sopa ou chocalhar o biberão. Parece que te apercebes nesse momento que tens fome e começa uma impaciência gritada que só visto, como que a dizeres: é isso pá! tenho fome! dá-me cá isso já que eu quero comer!!!



Continuas a dormir muito bem, mais ou menos das 19h30 às 7h00, mas nos últimos dias é às vezes difícil adormeceres. Tu que já adormecias sempre sozinho agarrado à fraldinha, agora precisas de agarrar o braço da mãe, de ouvir uma musiquinha e às vezes de um colinho. Pareces ter mesmo medo de te deixarem sozinho e agarras-me com uma fúria e violência impressionante. Tenho aqui uns arranhões na mão a provar isso!
Depois de acordar brincas cerca de uma hora e depois dormes uma sesta prai de uma hora também. A partir daqui o teu dia tem ciclos de 2 horas :) Brincas duas horas e depois tens de dormir, chato chato é teres fome e sono ao mesmo tempo, e o pior é que isso acontece quase sempre ao almoço e ao jantar!

Adoras o banho. Podes estar a resmungar de sono, podes até estar já meio a dormir na cadeira de comer, mas para o banho estás sempre bem disposto. Agarras o boneco e já não o largas e chapinhas ;) E nem te chateias muito que te despeje água pela cabeça, qualquer dia até já tomas duche!
Quando acaba o banho lá volta a resmunguice.



Já te locomoves sentado aos pulinhos e às vezes a rastejar. Nesta área o teu desenvolvimento é estrondoso, todos os dias há novidades. Se no passado fim de semana te atiravas de cabeça e lá batias com a tola no chão, ontem já te colocavas quase de gatas e não caias. Para alcançar os brinquedos já começas a colocar os joelhos na posição de gatinhanço e tudo. Está mesmo para breve começares a gatinhar.

Continuas a gostar muito de brincar ao cucu. Se te tapo a ti, tu tiras rapidamente a fralda e olhas para mim a rir, como que a dizer: atao o cucu? Se tapar eu a cara tu vais logo tentar tirar a fralda :)
Gostas de tudo o que é brinquedo e queres agarrá-los todos. Um para cada mão e quantos mais melhor. Brincas até com os botões e fechos da roupa da mãe sempre que vais no sling.



De vez em quando estás um bocadinho mais irritado. Babas mais do que nunca e estás sempre a roçar com tudo nas gengivas. E andas com o rabito mais assado. Mas dentinhos ainda nada de aparecerem.


ps. A mãe anda tão triste de não ter tempo para estar contigo. Mesmo com a tal "benesse" das duas horas de aleitamento tem que se levantar a correr de manhã para te levar à creche e depois quando te vai buscar tu estás tão cansadinho que só queres comer, banho e dormir de seguida. :(
Mas hoje pedi para trabalhar em casa e estivemos a brincar de manhã, foi tão bom não foi bebé? Foste um bocadinho mais tarde para a creche e também te vou buscar mais cedo :)
É uma sorte gigante a mãe ter a sorte de a deixarem fazer isto de vez em quando!

publicado por Claudia Borralho às 13:43

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Novembro de 2007

gatinhar sem gatas

Ontem ao chegar à creche dizem-me assim: "Temos novidades!! :D Já gatinha!"
Eu: "Já gatinha? Mas de gatas mesmo?"
Creche: "Não. Gatinha de rabo. Está sentado e vai avançando aos pulinhos."
Eu: "Ahhh mas isso já ele faz em casa!!!"

Hehe eu devo ser das únicas mães que ali anda que nunca se espanta com o que o puto faz, até agora os desenvolvimentos têm sido todos em casa e eu é que levo as novidades para a creche.

À noite contei a história ao pai... "Atão mas ele tá farto de fazer isso!!!"
Hehe e o pai também nunca perde pitada!!!! E até a avó já o tinha visto treinar isto!
publicado por Claudia Borralho às 10:03

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

a fada dos dentes

Anda a pairar lá por casa.

Já não chegavam os 4 a 5 babetes encharcados de baba por dia (quando costumavam ser 1 ou 2), os bonecos roçados violentamente contra as gengivas e mais rabujice que o habitual.
Agora deu-lhe para chorar desalmadamente para adormecer à noite.

Ontem estive cerca de 1h30 com ele aos gritos e a chorar, completamente cheio de sono, mas sem nunca adormecer. Acalmava um bocadinho ao colo, mas depois dava-lhe um repente e ainda ao colo desatava num pranto que só visto.

Às tantas desisti, fui-lhe aspirar o nariz, medi-lhe a temperatura (nada de febre) e espetei-lhe com um benuron no rabo (que eu sei lá se isto não são os dentes e o miúdo tá cheio de dores.
Ficou acordadissimo. Como tal sentei-o no chão para brincar a ver se se cansava (ao menos a gritaria de choro tinha acabado).

Quando já estava irritado lá voltei a tentar deitá-lo para dormir (já eram umas 21h e ele costuma adormecer às 19h), o pai finalmente chegou a casa e adormeceu-o em três tempos com um boneco de música.

Só vos digo, espero bem que seja dos dentes e que cheguem depressinha, não sei se aguento muito tempo a gritaria. Meu rico menino!
publicado por Claudia Borralho às 09:55

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Novembro de 2007

maminhas

Não são as minhas são as dele!
O meu magrelas está a ficar com maminhas!!! hehehe!
tags: ,
publicado por Claudia Borralho às 14:29

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

Plagiocefalia

Aos 2/3 meses começámos a notar que estava a ficar com a cabeça torta. De tanto se virar para a esquerda a cabeça já estava a ficar com um bico dum lado e redonda do outro.
Estava constatemente a tentar fazer com que o bebé olhasse para a direita e não para a esquerda para tentar contrariar a "torteza" da cabeça.
A pediatra também achou a cabeça um bocadinho plana demais, mas apalpou as cabeças dos pais e achou que devia ser um pouco genético

Aos 4 meses e meio já achava a cabeça demasiado plana, mas que devia ser tudo posicional. Fizemos ecografia e raio X à carola do puto para ver se estava mesmo tudo bem.
Os resultados foram todos normais, e o médico que fez os exames sugeriu que quando ele se começasse a sentar a cabeça deveria ir ao sítio.

Aos 6 meses ainda não se sentava sozinho, e para tirar as teimas vamos mesmo a uma consulta com um neurocirurgião infantil para lhe ver a cabeça.

Em tempo algum isto me preocupou muito. Sempre achei que era totalmente posicional* e que certamente nada de errado se passa com a carola do puto. O problema, a existir, é principalmente estético e também só se nota no perfil.

Do que li por aí, a correcção passa geralmente pelo uso de um capacete 24h/dia durante vários meses. Dizem que os bebés se habituam e nem se chateiam muito, mas eu não me parece querer sujeitar o meu miúdo a isso (se o problema for apenas estético).


What causes plagiocephaly?
Another increasingly common reason that some babies develop a flat spot is that they spend so much time on their back. Starting in the early '90s, parents were told to put their babies to sleep on their back to reduce the risk of SIDS. While this advice may have saved thousands of babies' lives, experts have also noted a fivefold increase in the incidence of misshapen heads since then, says Michael Edwards, a pediatric neurosurgeon in Sacramento, California.

Babies are born with soft, pliable skulls, and when babies sleep on their back every night, their head can develop a flat spot where it presses against the mattress. This happens most often in infants who are born with a common form of torticollis, a condition in which a tight or shortened muscle on one side of the neck causes the head to tilt to one side. Premature babies are particularly at risk. (See below for tips on repositioning your baby to avoid both SIDS and plagiocephaly.)

A baby may also develop an abnormally shaped head if development in the womb is constricted somehow. This can happen when there's more than one fetus, if the mother's uterus or pelvis is especially small, or if there's too much or too little amniotic fluid. It can also happen to a breech baby whose head gets wedged under the mother's ribs.

What should I do if my baby's head seems to be developing a flat spot?
In many cases, even a serious-looking flat area will round out on its own as a baby starts crawling and sitting up (especially if you follow our repositioning tips below). But to be safe, it's a good idea to insist on a referral to a pediatric neurosurgeon or craniofacial specialist as soon as you notice the flattening. A specialist should be able to tell whether your baby's situation is severe enough to warrant treatment and what your options are. Get the referral and make an appointment right away because you may still have to wait weeks or even months to see a specialist for a diagnosis, and the earlier you catch a severe case, the easier it will be to correct.

What's involved in getting a diagnosis?
In most cases, the specialist will need only an X-ray to distinguish plagiocephaly from craniosynostosis (which requires a different treatment). But some doctors may also recommend a special kind of CT scan. In certain cases, a very experienced specialist may be able to tell just by looking at your baby's head what's causing the deformity. He will want to know whether your baby was born with the flat area or whether it developed several weeks after birth. If you can't remember when you first noticed the flattening, go back and carefully examine any pictures you have of your newborn.

If the doctor determines that your baby has plagiocephaly, he'll most likely recommend repositional therapy first — that is, ways you can reposition your child to avoid putting pressure on the flattened areas. This kind of therapy is most likely to be successful if you try it before your baby reaches 6 months of age; after that it's much harder to control the position your baby sleeps in. If repositional therapy doesn't correct the problem, your doctor may recommend cranial orthotic therapy, a band (or sometimes a helmet) custom molded to fit your child's skull. (Reconstructive surgery is no longer recommended except in the most severe cases or in the case of craniosynostosis.) If your baby has torticollis, she will have to have physical therapy as well to treat this condition.

What does repositional therapy involve?
If your baby's case is not severe, your practitioner will probably tell you to try several things at home to help your baby's head round out. First, try to make sure your child spends plenty of time on her tummy (while supervised and awake) during the day to strengthen her neck muscles. You may start out trying this for only a minute or two at a time. Stronger neck muscles will allow her to move her head around more during sleep, so that it doesn't always rest in the same position.

Your pediatrician may also recommend alternating your baby's sleeping position from back to side. You can keep her from rolling onto the side where the flattening is by placing a rolled-up towel or blanket behind her head or by placing crib toys on the opposite side of the flat area to entice your baby to look in that direction. You might also try putting her down to sleep in her crib with her head pointing in the opposite-from-usual direction. She'll want to look out into the room and will probably flip her head over to do so, giving the flat side of her head a break from the mattress. And be sure to alternate her position from one side to the other when bottle- or breastfeeding.

Finally, try to be aware of how much time your baby spends in a car seat, stroller, infant carrier, bouncy seat, or infant swing where she may be leaning back and putting pressure on her flat spot. Make sure you take her out of these devices for a good part of each day and hold her or play with her on her tummy instead.

What does cranial orthotic therapy involve?
If your baby's plagiocephaly is severe, she'll probably have to wear a special custom-fitted headband (called a cranial orthotic) for 23 or 24 hours a day to correct the shape of her skull. This treatment generally lasts from two to six months, depending on how early you start and how severe the problem is. This therapy is most successful when started before the age of 6 months. Some experts think the headgear offers little help after 10 months, but others say it can be used as late as 18 months.

Your doctor can tell you where you can get a band made. You'll probably want to research the comparative success rates of several devices before you choose one. Once you do, they'll need to take a casting (or a scan) of your child's head to custom-fit the device. While casting isn't fun for a baby, it's painless and takes only a few minutes. As frightening as the headgear may sound and look, it's lightweight and most babies are not bothered by it or quickly get used to it. Treatment can cost up to $3,000. Some insurance companies will cover it under their orthotic benefits, but others consider it cosmetic or investigational and won't pay for it. However, many parents have successfully appealed their insurance company's rejection and received payment in the end.

The success rates for this kind of therapy are high when it's started early. If you're starting treatment late, you should know that your baby's skull may not become perfectly symmetrical again, but you can take heart that when your child's hair grows in fully, it will most likely hide any remaining flatness.

Where can I get more information?
Two Web sites that offer information about this condition, lists of specialists, and access to support groups are Plagiocephaly.org and CAPPS (Craniosynostosis and Positional Plagiocephaly Support).


*o Gabriel dorme 99% das vezes direitinho de barriga para cima e mesmo quando tinha só um mês se o tentassemos virar ou colocar de lado, ele sozinho voltava à posição inicial.
publicado por Claudia Borralho às 12:33

link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|
Terça-feira, 20 de Novembro de 2007

Dúvida existencial

Agora que a pequena criatura está quase a gatinhar eu questiono-me:
será boa ideia andar a limpar o chão mais frequentemente ou assim como assim até é boa a porcaria para ele criar muitos anticorpos e tal?

Can you be too clean?

If you're looking at a trail of crumbs over the floor and feeling guilty, or letting the dog slobber all over your toddler, or not keeping your house spotlessly clean all the time, you can stop worrying. Though your baby may have a few more colds now than her peers living in spotless environments, she may be less likely to suffer chronic problems with asthma and allergies later in life, according to the latest research.

Over the past few decades, there has been a huge increase in the numbers of children with asthma and allergies worldwide, particularly in developed countries. In 1989, an epidemiologist writing in the British Medical Journal suggested that the rise in allergies might be due to declining family sizes and higher standards of cleanliness; these two circumstances provide young children with less exposure to germs. This, in turn, is thought to give children's still-developing immune systems less practice in fighting off intruders. The result, the theory goes, is that the under-challenged immune system wants to be used, so it becomes primed to see harmless substances like dust and pollen as dangerous invaders, leading to allergies and asthma.

Recent studies show that there may be some truth to this idea, which has come to be known in medical circles as "the hygiene hypothesis". In 1997, a study of almost 12,000 families in England and Scotland found that the more children a family had, the less the incidence of asthma. A May 2000 study in an American journal reported that among almost 1,200 teenagers in Canada, those who grew up on farms were 40 per cent less likely to have asthma than their urban and suburban counterparts.

And in a more comprehensive study, scientists at the University of Arizona followed a group of 1,035 children from infancy until they were as old as 13. They found that among babies under six months, those who had older siblings or were in nursery were more likely to have asthma symptoms such as wheezing. But after the age of six, these same children were 40 per cent less likely to be suffering from asthma.

"What do siblings, animals, and nursery have in common?" asks Dr Thomas Ball, assistant professor of Clinical Paediatrics at the University of Arizona and one of the authors of the study. It sounds unpleasant, but the answer is probably contact with trace amounts of faeces. Ball speculates that what actually causes that decrease in asthma later isn't actually the number of infections a baby has, but rather the amount of contact she has with endotoxins, which are substances that are given off by bacteria when they die. Faeces are loaded with them.

But the important thing to note from Ball's study is that the window of opportunity for affecting the developing immune system seems to occur during the first year of life. Research has shown that a baby's immune system begins preparing for microbial onslaught even before birth, with the placenta acting as a filter that lets through small amounts of innocuous allergens and microbes. Babies, it seems, are born ready to have their immune systems challenged.

So don't stress too much about the various bugs your baby may be encountering at nursery or from the family pet. They may be the best thing for her in the long run!

in babycenter.co.uk
sinto-me:
publicado por Claudia Borralho às 20:16

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Segunda-feira, 19 de Novembro de 2007

chuva

Uma aventura sair de casa hoje! A chuva apanhou-me totalmente deprevenida.
Saí de casa com o puto no sling, mala gigante (onde cabe tudo e mais qualquer coisa) à tiracolo por cima dos dois e dois molhos de chaves à volta do pescoço. Mais dois sacos numa mão e o guarda-chuva aberto na outra.

Cheguei ao carro e lembrei-me que faltava a sacola do puto com roupa e babetes lavados para a creche... isso teve de ficar para amanhã.
sinto-me: burrica de carga
publicado por Claudia Borralho às 16:19

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.subscrever feeds

.o nosso bebé

Gabriel - 25 / 4 / 2007
Nasceu a 25 de Abril de 2007 às 40 semanas e 2 dias com 3450gr e 50cm com Apgar 10 logo ao 1º minuto! :D

.coisas da mãe

. Fiz eu!

. Ilha das Maçãs

.babies around us

Rafael - 06 / 04 / 2001
João Miguel - 09 / 07 / 2003
Marta & Beatriz - 13 / 04 / 2005
Bé (Beatriz) - 22 / 05 / 2005
Vasco - 21 / 08 / 2005
Gustavo - 18 / 11 / 2005
Matilde - 16 / 01 / 2006
André - 28 / 04 / 2006
João - 20 / 02 / 2007
Maria Leonor - 12 / 09 / 2007
Bernardo - 12 / 10 / 2007
Leonor - 2 / 12 / 2007
Rita - 6 / 12 / 2007

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

.pesquisar