Lilypie 1st Birthday Ticker
Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007

prendas

Recebeste carradas de prendas como é óbvio, desde as camisolas giras escolhidas pela mãe e oferecidas pela avó M, passando pelos brinquedos para usar daqui por uns meses, até ao fato de treino horribilis para 18 meses (continuo a achar que será a fatiota ideal para teres na creche daqui por um ano).



Mas houve coisas que surpreenderam e tu gostaste. A mãe não resistiu e deu-te uma bola verde (há iguais na creche e já sabia que ia ser um sucesso). Nem ligaste ao papel e adoraste a bola :)
E também adoraste o comando que te deu a avó P, andas com aquilo para todo lado (embora ainda não ligues nenhuma aos botões nem à música).

Mas nada, nada mesmo consegue destronar o teu brinquedo favorito! Os copinhos de empilhar e tens uma especial adoração pelo preto, vá-se lá perceber porquê! (oh filho! o preto??? com tantas cores giras e tu gostas do preto???)

publicado por Claudia Borralho às 13:36

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2007

o teu primeiro natal

O teu primeiro natal foi assim extremamente cansativo para a mãe. Toda a gente quer estar contigo e tu disparas o olhinho cada vez que percebes que há visitas, o resultado é a mãe não dormir de noite.
Ora tudo começou no dia 21. Fomos jantar com as amigas da mãe e tu conheceste viste de longe a Leonor enquanto rastejavas cheio de satisfação pelo chão da sala da Lia. Como é suposto adormeceres por volta das 19h e nós acordamos-te para a farra às 20h, a noite acabou por ser de agitação contigo a acordar a noite toda de 30m em 30m.
Fantástico!
Dia 22, vieram visitar-nos a tua madrinha, o André (que cheio de ciúmes ainda te assustou porque não parava de te chamar "mau"), a Marta (que adora abrir presentes mas não gosta de malinhas), a Beatriz (que pede ao pai para abrir a prenda por ela e fica com a mala dela e a da irmã) e o resto da trupe toda. Tu adormeceste mesmo antes de eles chegarem, mas depois acordaste e já que haviam visitas em casa, dormir para quê?
A noite foi depois ainda mais divertida e acordaste de 20m em 20m.
Dia 23 não houve visitas e não saimos de casa, adormeceste à hora do costume e só acordaste duas ou três vezes.
Ora que chegamos a dia 24. A tua avó P chegou cá a casa quando faltavam uns 10m para dormires a sesta... ora lá deixamos a avó a brincar contigo e esticamos a hora de dormir mais 40m. Estavas cansado mas querias ter continuado a brincadeira, como tal levaste que tempos para adormecer.
Acabas de adormecer e chega a avó M. Tu acordas meia hora depois e vês-te rodeado de avós e avô :)
A janta foi uma desgraça, com tanta gente de roda de ti tu só choravas e gritavas. Pior ainda quando uma avó ainda se põe com ideias de ir buscar um brinquedo....
Farta de tanta choradeira a mãe aparece e tu ainda comes umas quatro colheres sem chorar da sopa que as avós juravam que tu não gostavas, apesar de ser a tua preferida (abóbora, cenoura, batata, cebola, salsa e agrião).
A avó M segue então para te dar banhoca sob o olhar atento da avó P. Depois veste-te o pijama e tenta adormecer-te.
Uma hora mais tarde vou lá eu substituir a avó... tu continuavas sem querer dormir.
Mais uns miminhos a ver se acalmavas a pestana e passou-me pela ideia fazer-te aerossois já que estavas mesmo a adormecer e cheio de farfalheira.
Foi um grande erro, assim que se houve o clique de ligar o aparelhometro tu abres o olho e desatas a chorar outra vez. Entre pessoas a passar pelo corredor, telefones e campainhas a tocar lá foste adormecendo. 10m depois acordavas aos berros outra vez. A mãe corre a fazer um biberão cheio de papa, comes tudo e lá adormeces a seguir.
Só te ouvimos chorar já depois de abrirmos as prendas todas. O pai foi lá pôr-te a chucha e tu ficaste.
Lá pras 2h voltaste a acordar e depois às 4h e já não querias dormir nem que a mãe saisse de ao pé de ti... adormeceste lá pras 5h30. Acordaste às 6h30 e às 7h. Eu estava de rastos. Tu feliz da vida abriste a prenda da mãe e gostaste muito (uma bola de borracha verde com picos).
Dia 25 lá fomos ao almoço na terrinha, para lá dormiste o caminho todo. Sentadinho à mesa até estiveste bem, cansadito mas sem rabujar. A viagem de regresso é que foi muito atribulada. Acordaste e tinhas fome. A mãe tentou que comesses uma papinha de fruta com bolacha, mas tu não querias nada com aquela papinha fria. Vieste meio a dormir, meio acordado a chorar o resto do caminho.
Chegados a casa papaste logo um biberão quentinho, mas depois do banho não querias dormir (oh que surpresa!). Depois de finalmente adormeceres perdi a conta às vezes que me levantei.
Dia 26 já te fui pôr à creche e andei a limpar a casa da jantarada de 24. Á noite tinhamos ainda o jantar de aniversário da avó P. Já esperava o pior, mas bendita escolinha que te cansou, adormeceste bem tarde, mas já só acordaste de manhã.
Dia 27 foste para a creche e já não houve festas nem visitas, adormeceste à hora do costume e já só acordaste uma vez à procura da chucha já passava das 6h.

UFA! (dia 27 estava ainda tão cansada que até dormi uma sesta a meio da tarde!)

Notinha: o puto acorda de noite e vira-se de gatas à procura da chucha, quando não a encontra chora...
publicado por Claudia Borralho às 14:27

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2007

A tua primeira festa de natal

Tenho uma confissão a fazer. Nunca me custou deixar o bebé na creche, nem me custa deixá-lo com uma avó ou com o pai enquanto vou fazer umas compras, ou assim.
Mas custa-me horrores não saber exactamente onde ele está.
Ou seja, eu tenho sempre de saber onde ele está. Saber que está ali e eu o posso lá ir buscar.
Já aconteceu o pai ir passear com o bebé e passado uma hora eu ligo a pedir que venham para casa. Não aguento muito tempo sem saber exactamente onde está.

Ora, à parte a questão de ovinhos e cadeirinhas, no dia da festa eu não sabia onde ele estava. Não sabia se ainda estava na creche, não sabia se vinha a caminho do teatro, não sabia se já estava no teatro. Não sabia onde no teatro ele estava.
Estive a remoer-me até aquilo começar de uma vez. E ainda por cima, começou atrasado.

Por fim lá abriram a cortina e eu procurei por ele. Pânico momentâneo outra vez. Não o encontrava!

Mas ele lá estava. Tinham-lhe pespegado com uma porra de um laçarote gigante na cabeça (os outros miúdos também tinham) mas o dele, não fosse ele a peste que é, estava já todo caído para a frente a tapar-lhe a cara.
Estava num berreiro claro. Foi lá alguém pôr-lhe o laçarote como deve ser, ele como linda peste que é arrancou aquilo tudo! :D E fizeste muito bem filhote!

Enfim... o meu sempre em berreiro, só parou quando mo entregaram (é a hora de dormir dele, estavam à espera do quê?), mas outros bebés muito animados, até dançaram :)

Depois fomos num corridinho para casa, adormeceste e já só acordaste para comer lá pras 22h*.


*Agora é assim, está tão cansado depois da creche que adormece ainda no caminho para casa e assim se mantém até a fome apertar e ele acordar. O que faz com que muitas vezes não jante a sopa nem tome banho. Mas, sinceramente, eu quero é que ele durma.
publicado por Claudia Borralho às 15:13

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 6 de Dezembro de 2007

apertadinho, apertadinho

Hoje é a festa de natal na escolinha do puto. A festinha não é lá, é num teatro da cidade.
Serão transportados para lá, assim mais ou menos daqui por uma hora.

Auxiliares e educadoras já não me podem ouvir a perguntar e têm ovinho para todos? De certeza que têm ovinho? Não é cadeira, é ovinho.

... apertadinho, apertadinho, só descanso quando o agarrar depois da actuação.
publicado por Claudia Borralho às 14:59

link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Quarta-feira, 28 de Dezembro de 2005

natal com crianças

Este foi o meu primeiro natal com crianças desde que eu própria era uma criança :)
Adorei receber os risos da marta, a foto do gustavo recém nascido, dar a papa à Bé, vê-la a brincar com a prenda que lhe fiz e vê-la às gargalhadas comigo.
Se estes me fazem tão feliz, nem imagino como vai ser quando a estes se juntarem os meus, os nossos filhotes.
tags:
publicado por Claudia Borralho às 11:30

link do post | comentar | favorito
|

.subscrever feeds

.o nosso bebé

Gabriel - 25 / 4 / 2007
Nasceu a 25 de Abril de 2007 às 40 semanas e 2 dias com 3450gr e 50cm com Apgar 10 logo ao 1º minuto! :D

.coisas da mãe

. Fiz eu!

. Ilha das Maçãs

.babies around us

Rafael - 06 / 04 / 2001
João Miguel - 09 / 07 / 2003
Marta & Beatriz - 13 / 04 / 2005
Bé (Beatriz) - 22 / 05 / 2005
Vasco - 21 / 08 / 2005
Gustavo - 18 / 11 / 2005
Matilde - 16 / 01 / 2006
André - 28 / 04 / 2006
João - 20 / 02 / 2007
Maria Leonor - 12 / 09 / 2007
Bernardo - 12 / 10 / 2007
Leonor - 2 / 12 / 2007
Rita - 6 / 12 / 2007

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

.pesquisar